quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Faz tempo.

Muitos fazem os anos.
Eu te conheci faz tempo.
Do tempo que te vivenciar, eram papéis de carta e figurinhas em um diário para decorar.

Muitos fazem os anos. Muitos anos fazem. As cartas e os diários já não te retratam bem. Talvez as crônicas, talvez poemas, talvez frases ou textos céticos, ou as músicas tristes, tão cheias de drama.

Não sei mais, se te sinto!

Foram tantos desenganos... lúdicas devoções, sonhos.
Pranto! Pranto!
Quando te vejo em alguns sorrisos, chego ao ponto de ser irônica e penso: que ridículo!
Meu Deus! Não pode ser! Chego à dedução cinza, que não creio mais em ti.

Eu não posso! Eu não quero!

4 comentários:

Efeito Caos disse...

Tem um pensamento de Albert Campus que diz assim: "Não ser amado é falta de sorte, mas não amar é a própria infelicidade"...

Aí completo o pensamento com Vinícius:

"É claro que a vida é boa
E a alegria, a única indizível emoção
É claro que te acho linda
Em ti bendigo o amor das coisas simples
É claro que te amo
E tenho tudo para ser feliz
Mas acontece que sou triste..."

Depois desses dois... Sobrou pouca coisa pra minha palavra não é? Como você, deduzo que não sobrou nada.

AURILENE disse...

Adoro Vinícius!!!
Tenho tudo para ser feliz, mas acontece que sou triste... mas não quero ser (brincando com o texto) Beijos!!

Efeito Caos disse...

Bah! O próprio Vini dizia que "é melhor ser alegre a ser triste", costumava a falar que isso era o segredo da vida ^^, deu até vontade de reassistir um dvd sobre ele... tanta coisa boa.

Beijos!

PS: Essas brincadeiras são sempre ótimas :)

AURILENE disse...

Sim! Alegria é a melhor coisa que existe, é assim como uma luz no coração!!!

PS; brincadeiras são ótimas sempre!